22 março 2013

O Circo da Noite, de Erin Morgenstern

"Uma leitura sedutora e emocinante... Morgenstern criou uma história tocante e que nos arrebata. Ao fazê-lo, deixa claro que, de todas as formas de magia, contar histórias é frequentemente a mais poderosa." USA Today
Mágico. Fantástico. Misterioso. Fascinante. Encantador. Essas são algumas palavras que veem na minha mente após a leitura de O circo da noite. O circo que chega sem aviso prévio e se vai sem despedidas. O misterioso e encantado circo. Sob uma aparência magnífica, chega para uma experiência jamais vista. Você vai querer se ver de todas as formas na Sala de Espelhos, deixar sua marca no Salão de Desenho, se perder no Labirinto das Câmaras e passar frio e, ao mesmo tempo, se encantar com o Jardim de Gelo. Vai despejar seus sonhos na Árvore dos Desejos e observar o céu iluminado no Observatório Estrelar, alcançar o topo no Labirinto das Nuvens e se perder em meio a todas as atrações e tendas disponibilizadas no Le Cirque des Rêves.

No entanto, no meio dessa mágica há um jogo: uma competição foi selada há anos mudando para sempre a vida de Celia e Marco. Só há um vencedor.
"É por isso, em parte, que hoje existe menos magia no mundo. A magia é um segredo, e os segredos são mágicos, afinal, e representam anos e anos de ensino e compartilhamento da magia. Escrever esses segredos em livros bonitos que ficam empoeirados com o tempo os enfraquece, remove seus poderes pouco a pouco. Isso era inevitável, talvez, mas não irreversível. Todo mundo comete erros."
Outubro de 1873. Um acordo é feito entre dois cavalheiros. Um homem de terno cinza e próspero, o mágico. Eles combinam um jogo. A partir daí, cada qual treina seu jogador com as suas técnicas. Ambos buscam que seu jogador ganhem. Ambos treinam os dois para serem excelentes, além do bom.

Treinados desde a infância, Marco e Celia não se conhecem. Não até o jogo realmente começar. Não até o circo se erguer. O local do jogo é circo e para toda ação há uma reação. Qualquer jogada de Celia ou de Marco abalam a todos que estão simplesmente no meio da disputa.

O livro é narrado com maestria. Os fatos e acontecimentos se encaixam quase como um quebra-cabeça de forma perfeita. Erin Morgenstern criou para nós um mundo fantástico. Com magia, mistério e até mesmo um pouco de amor. Os personagens são adoráveis, encantadores, eu diria. São bem elaborados, assim como o circo. Por algumas sinopses ou resenhas, pode dar a entender que o um dos focos do livro é o romance, mas me senti até um tanto quanto decepcionada, já que o mesmo foi deixado um pouco de lado. O foco da história é o circo. O jogo. E um pouco de tudo. A narração consegue dos dar uma boa ideia de cada personagem individualmente e deles no circo, ou na história em si.

É uma leitura completamente fantasiosa. Tirei os pés da realidade ao ler esse livro. Ainda mais se tratando de um livro que, na minha opinião, foi muitíssimo bem elaborado, só tenho mais é que recomendar a leitura do mesmo. A fantasia e o mundo que a autora cria e nos apresenta são fantásticos. Daria tudo para poder ir ao Le Cirque des Rêves. Conhecer todos os lugares encantados tão bem descritos no livro. Recomendo a vocês a chance de conhecer o circo em um lugar só nosso, individual de cada um, e onde somente é possível, na imaginação.

Karine Pestana

0 comentários: