18 agosto 2011

A Guerra dos Tronos por George R.R. Martin


Título: A Guerra dos Tronos #1 da série “Crônicas de Gelo e Fogo”
Título original: A Game of Thrones
Autor: George R.R. Martin
Tradutor: Jorge Candeias
Editora: Leya
Número de páginas: 591
ISBN: 978-85-62936-52-4
Edição: São Paulo, 2010
Gênero: Literatura americana; Ficção fantástica
Aviso: Esta resenha NÃO contém spoilers

Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, aceita a prestigiada posição de Mão do Rei oferecida pelo velho amigo, o rei Robert Baratheon, não desconfia que sua vida está prestes a ruir em sucessivas tragédias. Sabe-se que Lorde Stark aceitou a proposta porque desconfia que o dono anterior do título fora envenenado pela manipuladora rainha – uma cruel mulher do clã Lannister. E sua intenção é proteger o rei. Mas ter como inimigo os Lannister pode ser fatal: a ambição dessa família pelo poder parece não ter limites e o rei corre grande perigo. Agora, sozinho na corte, Eddard percebe que não só o rei está em apuros, mas também ele e toda a sua família.

Quem vencerá a guerra dos tronos?


“Quando se joga o jogo dos tronos, ganha-se ou morre. Não existe meio-termo.”

p. 346

    Antes de começar a leitura de “A Guerra dos Tronos”, estava com um enorme medo e também esperançosa, admito, de encontrar uma nova obra feita à imagem e semelhança, talvez, da pioneira no gênero fictício fantástico, “O Senhor dos Anéis”. Fiquei feliz, entretanto, e apenas feliz em descobrir que nada era tal como imaginava, sentindo-me assim no dever de alertar o leitor que pensou da mesma forma e o leitor que não prosseguirá até o final da resenha por preguiça, cansaço, obrigação ou simplesmente por não prosseguir.
    Provavelmente ficarão confusos com minha confidência de que tinha esperanças de encontrar uma obra semelhante à de Tolkien, mas a explicação é muito simples, estava apenas aguardando por algo tão majestoso, tão grande e que me empolgasse como a epopeia de Frodo o fez. Mais uma vez insisto em animar o leitor, pois George Martin é mestre e explora as mais extremas vertentes de sua obra de maneira experiente, atando todas as pontas e todas as várias personagens de forma peculiar.
    Falar sobre a história do livro em si não é realmente fácil, pois até certo ponto pode deixar de ser uma informação comum e tornar-se um spoiler precioso. Além disso, provavelmente traria muito confusão às suas cabeças, tamanha a quantidade de personagens dos mais diversos clãs e das mais diversas condutas dos Sete Reinos.
    A narração é em terceira pessoa, embora seja onisciente e cada capítulo assuma a visão de uma personagem. O foco, naturalmente, fica, como se lê na própria sinopse, entre a família Stark, que conta com Eddard, Catelyn e seus filhos Robb, Bran, Rickon, Sansa, Arya e o bastardo de Lorde Stark, Jon Snow, e os Lannister, representados pelo anão Tyrion. Além destes, faz-se notável e necessária na história alguém que ainda não interage diretamente com os clãs que estão em briga, mas que virá, em algum ponto, a cruzar o caminho dos Senhores do Norte e do Sul, a princesa Daenerys Targaryen, Filha da Tormenta e do sangue do dragão.
    Creio eu que, sendo o meu leitor uma pessoa normal, já deva ter esquecido de todos os nomes e dos clãs aos quais eles pertencem, o que é absurdamente comum, principalmente ao decorrer do livro. Se não falha-me a memória, aproximadamente à página 100 que fui lembrando e tendo certeza de que Ned era apelido de Eddard, Dany de Daenerys, Cersei era a rainha e outras coisas que virão naturalmente.
    O tamanho dos livros é o que geralmente assusta. Perguntaram-me, de brincadeira, umas várias vezes se eu estava lendo alguma espécie de Bíblia. Ainda assim, “A Guerra dos Tronos” tem menos páginas que “A Ordem da Fênix”, por exemplo, o 5º volume da Saga Harry Potter, o que é apenas uma questão de diagramação e espaçamento entre as folhas mesmo. Não se deixe, contudo, enganar-se, pois a obra de Martin não é algo que possa ser lido da noite para o dia. É necessário o tempo devido para absorvê-la, para compreendê-la. As palavras que o leitor aqui encontrará não serão tão difíceis ou cansativas quanto as do autor de “O Senhor dos Anéis”, por exemplo. Dificilmente verá algo arcaico, que não saiba explicar, ou há de se deparar com uma narrativa enfadonha, também não se trata disso. Suponhamos que seja como uma lição histórica: para entender o porquê de tal reino ser inimigo do outro, devemos estar inteirados em suas trajetórias e nas de seus representantes. Não é apenas folhear vorazmente, devorar e esperar que tudo cairá muito bem, pois acabará tendo uma verdadeira indigestão literária.
    “As Crônicas de Gelo e Fogo” compõem, acima de tudo, uma série de caráter adulto. Logo neste volume, “A Guerra dos Tronos”, facilmente nos deparamos com situações que vão muito além da fantasia usual, tida como gênero infantil. Na série de Martin, há sexo explícito, violência, incesto, estupro, morte e creio que tudo fica ainda mais visível pela adaptação feita à televisão pela HBO, que leva o nome original do livro, “A Game of Thrones”,
    Entre as muitas peculiaridades e qualidades do autor, destaco exatamente a notável influência humana sobre a obra, o lado psicológico de cada personagem tão bem composto, deixando sempre em dúvida de qual lado ficam os “bons” e os “maus”. Por quê? Simplesmente porque não há bem ou mal, há apenas Gelo e Fogo, Norte e Sul, muitos clãs e reinos, muitos lados e a eterna tentativa de vencer uns dos outros. Temos Eddard Stark, o homem nobre e valente, senhor de sua casa, rei. Robert Baratheon, que foi guerreiro e tornou-se um soberano estúpido, cheio de ostentação e remorso por não cumprir o seu papel. Catelyn Stark, tão senhora de si e defensora leal de seus filhos e de seu homem. Cersei Lannister, manipuladora, traiçoeira, adúltera, vingativa. Tyrion Lannister e suas palavras, sua astúcia e inteligência tão grandiosas se colocadas ao lado de sua estatura. Arya Stark e sua rebeldia, seu desejo de ser e fazer mais. Sansa Stark e sua futilidade, inocência e doçura. Jon Snow, bastardo, corajoso, nobre e determinado. Daenerys Targaryen, sangue do dragão e sempre tão temerosa quanto à proximidade de seu irmão. Temos, enfim, personalidades que oscilam perante o amor, perante a coragem e a covardia, perante o poder, a tristeza, a dor e que nada têm de mais fantásticas. A fantasia em si, falando-se a verdade, fica por conta das menções que assombram aos Outros, não muito explorados neste volume, e aos seis lobos gigantes, filhos da casa Stark, que desempenharão papéis de suma importância ao lado de cada filho de Eddard.
    Em um artigo do site da Revista Veja intitulado “Dez razões pelas quais “A Guerra dos Tronos” é (muito) melhor que “O Senhor dos Anéis", há fortes argumentos contra a obra de Tolkien que seriam ainda mais fortes se realmente as obras pudessem ser equiparadas. Enquanto “O Senhor dos Anéis” compromete-se com o nobre, com o fantástico e o encantado inocente, “As Crônicas de Gelo e Fogo” são cruelmente humanas e comprometem-se com nada mais, nada menos que o realismo mais concreto que pode haver em uma obra fictícia.
    A influência de Tolkien sobre George Martin faz-se notável logo à primeira página, na qual há um mapa do Norte, desenhado pelos mesmos padrões que os mapas que encontramos na trilogia “O Senhor dos Anéis”. Contudo, logo após fazer-se notável, some, permitindo ao leitor conhecer e, ao fim, saudar de bom grado a obra-prima e autêntica de George R.R. Martin.
    Fiquem atentos, meus caros, pois...

“O inverno está chegando...”

Avaliação Geral:
 Nota 5 de 5 (Ótimo)

  Abraços a todos,
 


18 comentários:

Alinne disse...

Estou doida para ler este livro, deve ser ótimo, ainda mais porque a série de TV é maravilhosa,então o livro deve ser melhor ainda!
Sabe quem são os meus preferidos?
Ned,Jon Snow e o Drogo! Com certeza é melhor que o Senhor dos Anéis bate recorde.
Beijos.

Books E Desenhos

Michelle' disse...

Ahhh eu quero muito ler esse livro!
Todas as pessoas falam super bem dele.
Realmente, ele é bem grande, mas acho que tamanho não influencia na minha vontade de ler, mesmo que eu demore.
Adorei a sua resenha, só tomara que não se pareça com Senhor do Aneis, porque, desculpe a franqueza, eu não gostei nem um pouco, achei chato, apesar da história ser boa!
Beijinhos
-Michelle (Minha Bagunça)

Livros e Tsurus disse...

Sabe que eu nunca tinha parado pra ler uma resenha desse livro?!

Gostei muito da sua resenha, é a primeira vez que realmente me interesso pela estória, parece ser muito boa! Quero ler!

Beijos

http://livrosetsurus.blogspot.com

Aione Simões disse...

Mais uma resenha espetacular, Ana, parabéns!
Eu quero muito ler essa série, mas confesso que fiquei com medo de me deparar com uma leitura cansativa, estilo "O Senhor dos Anéis". Não consegui passar do primeiro capítulo desse, além de também só ter assistido ao primeiro filme, a história simplesmente não funcionou comigo.
Sua resenha me animou muito para ler "A Guerra dos Tronos", porque você fez questão de mostrar a diferença entre essas duas grandes obras!
Além disso, gostei demais do tom de realidade que parece ponderar sobe a história. Chega a ser paradoxal que uma obra de fantasia seja tão real, não?
Beijos e parabéns pela resenha!

Miss Carbono disse...

Quero ler esse livro mas tenho medo quando comparam com o senhor dos anéis por que, acho que já disse por aqui, abandonei a leitura de "A sociedade do anel" e nunca consegui retomar. Não por a história ser ruim mas pela detalhismo de Tolkien, que era algo que me desanimava (e ainda desanima).

Mesmo ambos não tendo comparação, como vc disse, não compraria por que (provavelmente) acabaria como mais um elefante braco aqui em casa (a obra completa de O senhor dos aneis é o outro =P)

Resenha muito bem escrita, como sempre.

teh mais

Ana disse...

Oi, Ana :) Sua resenha esclareceu algumas dúvidas que tinha sobre o livro. Eu já adicionei na minha lista de "vou ler", mas jamais imaginei que fosse uma obra tão complexa e adulta. Eu gosto de livros assim, com personagens psicologicamente bem diferentes uns dos outros.
Eu leio devagar, então eu acho que teria muita paciência pra interpretar e concluir as 591 páginas. Provavelmente, é um livro que iria gostar bastante. Essas sagas prendem minha atenção. :)

Sobre o comentário lá no blog:

O Fantasma é apaixonante. Se não fosse toda aquela revolta... :/ Ele bem que poderia ser uma pessoa melhor. Ele tinha que ter ficado com a Christine. o/
Rose e Jack ficaram pra história... :'(
Tbm chorei com o "Curioso caso de Benjamin Button". Lindo esse filme. =)

Bjs ;)

Gabriele Santos disse...

comeicei a ler...estou na página 50 por aí...
a obra é realmente incrível e a gente percebe que as coisas não são pretas ou brancas apenas..talvez cinzas.
O lado psicológico e humano dos personagens é incrível...e eu não lembro o nome da maioria...rsrs
mais uma belissima resenha Ana. Nãoposso comparar com Senhor dos Anéis porque não o li...mas Guerra dos tronos é super recomendado...
E o inverno está chegando *&----*

Luciana Pink disse...

oi Ana

td bem?

esse livro é super grosso msmo,rs

legal q gosta do Diego

bjs

estilorosa.blogspot.com

£ädÿ disse...

eu quero MUITO ler esse livro, pq tenho certeza absoluta de que vai ser totalmente diferente de qualquer coisa que eu já tenha lido. não comparo com Tolkien pq nunca li Senhor dos Anéis, e nem sei se realmente pretendo. Mas quando falo de Guerra dos Tronos, me vem a cabeça uma coisa muito forte e marcante e difícil de digerir. O tipo de livro que eu muito provavelmente só vou ler nas férias, quando tiver tempo de sobra pra me dedicar pra leitura. Mas fato é, uma hora esse livro chega na minha mão!

Tici disse...

Estou vendo o seriado, mas quero muito ler o livro, não, eu n~~ao quero, eu necessito. O seriado já é bom, imagine o livro, cada resenha que leio desse livro me deixa com água na boca.

Aah, agora preciso muito ler o segundo de PNTS, xD

Bjs.
Ticia- ObsessionValley.

Camila Leite disse...

Que legal!
Deve ser muito interessante o livro, adorei.
E eu gostei muito da capa também!
Beijos, Mila ♥

@Camilla_Leitte
http://sonhosentrepontinhos.wordpress.com

Clayci disse...

Primeira pessoas que vejo falando SOBRE o livro detalhadamente
=) curti

Sthaelle disse...

Oi Ana!

Eu tenho muita curiosidade em relação a esta série, mas ainda não consegui comprar rs
Adorei sua resenha, que ficou ótima sem spoiler algum!


Beijos
Thata e os Livros ~

Julia G disse...

Ana, á faz tempo que quero começar a ler essa saga, e a sua resenha ficou perfeita. Fiquei com ainda mais vontade de ler, acho, inclusive, que focar em características tão humanas pode ser um ponto muito forte na narrativa do autor.

Um beijo
Conjunto da Obra

Cíntia Mara disse...

Essa série já está na minha lista, mas, devido ao seu tamanho, terei que esperar mais algum tempo para ler. São muitos livros na fila. Também não li Senhor dos Anéis, mas quero ler (algum dia).

Ótima resenha.

Beijos

Robledo Filho disse...

QUE RESENHA GENIAL! É sério: você vê muita gente dizendo que é mais difícil resenhar um livro quando você pretende atribuir-lhe nota máxima, mas, Ana, você acaba de provar a todo mundo que é possível fazer uma análise primorosa sobre um livro que te encantou. Aliás, não posso deixar de notar o seu tom machadiano: sua conversa com o leitor e suas sutis ironias foram ótimas.
Quanto ao livro: você sabe que quero lê-lo há um bom tempo. Nunca tive nenhuma experiência com literatura épica, e não pretendo começar pela narração do Tolkien, não senhor. Um amigo, que é fã do gênero, recomendou-me justamente o Guerra dos Tronos - mais uma razão para que eu o leia o mais rápido possível, porque um livro indicado por um amigo sempre adquire uma aura especial. Você tem razão: parece realmente difícil memorizar o nome de todas as personagens, associá-las aos clãs e tudo mais, mas eu estou disposto a iniciar a leitura, progredindo até o final, mesmo assim. Se eu gostar, prometo que cito essa sua resenha na minha análise, rs.

=*
Livros, letras e metas

Rapha disse...

Ai Aninha, já falei que to LOUCA pra ler a serie né? Nao conheço ninguem que fale mal sobre eles, entao minha curiosidade e ansiedade aumenta cada dia mais..

Mas qnto às comparações, eu nao li Senhor dos Aneis, mas cada livro é um livro sabe? Não deveria haver comparações..

Beeeijocas
Rapha - Doce Encanto

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Tenho paixão para ler este livro. Não vejo a hora de ter ele. Bjuss