08 setembro 2011

Oito contos de amor por Lygia Fagundes Telles

Perdoem o atraso!
Título: Oito contos de amor

Autora: Lygia Fagundes Telles
Editora: Ática
Número de páginas: 87
ISBN: 85-08-05853-5
Gênero: Literatura brasileira; Antologia de contos
Quando na escola? Durante o estudo da corrente literária do Modernismo, que normalmente ocorre ao 3º ano do Ensino Médio, ou o conhecimento dos contos, sem nível estudantil certo.

O amor transforma uma simples ajudante de cabeleireiro na persistente Pomba Enamorada, numa espera sem fim. Um homem à beira da morte vê num colar de pérolas a saída para suspender o esquecimento inevitável da mulher que ainda é sua. A lembrança do primeiro amor de uma menina atravessa os anos encerrada num enfeite de cerejas de cera. Uma bolha de sabão paira no ar, transparente, fragilíssima, e no entanto impenetrável...
Banal, sublime, vago, fulminante... O amor tem todas as formas e está em toda parte. Mas é sempre mistério. Lygia Fagundes Telles, com a maestria de sua arte, sonda as profundezas desse abismo. Não para desvendar-lhe o segredo, mas para nele mergulhar o leitor. Nos oito contos deste livro, mesmo quando não mencionado, o amor é o personagem principal.

Acho um pecado colocar uma obra de minha autora predileta na seção “Encontrei na escola”, que tende a ser vista como a daqueles livros chatos para o estudo... Muito pelo contrário, grande parte da riqueza literária está contida aqui. Mais acentuada, porém, intrínseca em sua grandeza incalculável, majestosa, impregnada de lirismo e mistério. Com esta antologia não poderia ter sido diferente. Apesar das poucas páginas, garanto que a leitura vale a pena.

Somos apresentados a oito contos que têm como tema central o sentimento que mais mexe com nossas cabeças, o utópico e por vezes catártico, amor. A antologia é composta por “As cerejas”, “Pomba enamorada ou uma história de amor”, “As pérolas”, “Herbarium”, “A chave”, “Apenas um saxofone”, “O encontro” e “A estrutura da bolha de sabão”.

É importante ressaltar o quão peculiar a escrita de Lygia pode ser. O leitor deve se deparar com contos refinados, que admitem interpretações lentas, que tendem a surgir com o tempo e sobre as quais a própria autora, numa entrevista ao início do livro, comentou.

“Não espero ser compreendida, espero ser lida. Se possível, amada – confessei a um leitor que parecia preocupado, gostava dos meus livros mas muita coisa não conseguia compreender. Não tem importância, respondi.”
Lygia Fagundes Telles

Entre os oito selecionados para a coletânea que vieram de outros livros da autora, deparamo-nos com as mais distintas vertentes do amor e do desamor. Histórias de idílios da juventude, de mocinhas que se desiludem em saber o quão triste pode ser a rejeição, ciúmes que assumem tons de Bentinho em “Dom Casmurro” como no célebre conto, “As Pérolas”, paixões que transcendem o tempo e a própria realidade...

Um exemplo da criatividade e até de um lado mais bem-humorado da autora pode ser visto no texto muito sutil e paralelamente distópico, “Pomba enamorada ou uma história de amor”, que nos narra a vida de uma moça que não consegue se desapegar de uma paquera de bailinhos juvenis, cheia de viço e de disposição para amar incontestavelmente, ao longo de todo o seu trajeto.

A nostalgia chega a palpitar, a doer em “Apenas um saxofone” num sentimento descontrolado, exagerado em que a paixão sufoca, é letal e promete tirar o ar do leitor. “A estrutura da bolha de sabão” nos presenteia com uma das mais belas metáforas sobre o amor, tão fino quanto a película que envolve a espuma, que deve ser soprado com cuidado para não ser demais, facilmente levado pela ventania, que fascina, encanta...

“Nossa vida foi tão maravilhosamente livre! E tão cheia de amor, como nos amamos e rimos e choramos de amor naquele décimo andar, cercados por gravuras de Fra Angelico e retratos dos seus antepassados.”
p. 67

Nessa mistura sentimental envolvente que promete ao leitor respirar novos ares literários, Lygia coordena com maestria seus contos e seus tantos modos de amar.

“A palavra escrita é como uma tatuagem, escrever é um ato de amor.”
Lygia Fagundes Telles

Avaliação Geral:

Nota 4 de 5 (Muito Bom)

Uma boa quinta-feira a todos e não deixem de conferir a promoção que está rolando AQUI no blog.

15 comentários:

Sanzinha disse...

Ana!

O livro prece ótimo. Só li um dela até agora: A Disciplina do Amor. Gostei muito dos contos e tenho vontade de ler outros. Agora já sei de mais um livro para procurar. :)

Beijinhos!

£ädÿ disse...

até hoje só li tipo um conto da Lygia Fagunde Telles. Eu super adorei, mas nunca me interessei em procurar mais nada dela. Quem sabe um dia.

Isabella Colmanetti disse...

Oi, Ana! :D

Você e a Lygia... Simplesmente inseparáveis! HUAHAUAHUA... E admiro muito esse seu amor pela literatura brasileira. Como já tivemos oportunidade de discutir, o Modernismo tem um encanto, um fascínio... e eu estou no mesmo fascínio que você ;)

Amei a resenha e, de tanto ouvir (leia-se ler) de você tamanhos elogios, não perderei a próxima oportunidade de ler algum livro dela (além dos contos do "Antes do Baile Verde") ^^

Beijos!

Isa
universoliterario.blogspot.com

Aione Simões disse...

Oi Ana!
Adoro suas resenhas, são sempre tão completas e bem escritas!
Acredita que nunca li nada da Lygia?
Devo corrigir a situação e ler algo o mais breve possível!
O livro parece ótimo, mesmo que eu não tenha o hábito de ler contos.
A temática central é, sem dúvida alguma, universal e, portanto, possível de causar identificação!
Mais do que isso, toda a narrativa parece ser muito bem construída!
Fiquei curiosa!
Beijos!

Novidades e Notícias disse...

Você já participou amoor ?
http://mini-fofoquinhas.blogspot.com/2011/08/2-sorteio-do-blog.html
Beijos lindos!!

ka macedo disse...

Nunca tinha ouvido falar dessa autora, ou desse livro. Acho que estou um pouco desinformada, haha.
Vou procurar saber mais sobre os dois.
Acho bem interessante quando alguém me faz sentir vontade de ler um clássico (eles normalmente me irritam profundamente). Então, parabéns pela ótima resenha!

Ps: postei seus marcadores ontem :) espero que eles cheguem rápido e em bom estado.

Beijoos
Minha Bagunça.

Milena disse...

Nossa, esse parece ser dos bons. O que me deixa triste é que em pleno pique da facul, no momento, só me resta ler apenas Dostoiévski e mil e um títulos que ainda tenho de folhear até o término deste período. Mas isso é ótimo! =D

Meu Cantinho: mile-meucantinho.blogspot.com

~ Te aguardo por lá!

Sora Seishin disse...

Oi Ana!
Gostei da sua resenha, você escreve muito bem :)
Mas acho que o livro não faz o meu estilo... não gosto muito de livros de contos.
Beijos,
Sora
Meu Jardim de Livros

✿ Nessinha✿ disse...

Olá!!
Adorei o post, pois eu adoro a Lygia!! Já li vários livros dela e super recomendo!!bjinhs
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

Bruno M disse...

Já li contos separados, mas nunca um livro apenas de contos, sei lá.. acho que eu preciso ir do começo ao fim com um só personagem, SUIAHUSIA.

Todos disseram que a Emily é simpática, e cara, os livros dela são ótimos. Impressionante! Deveria ler!

Tô seguindo, também!

Priscila disse...

Gostei pra caramba!
Adoro essa coluna do blog! ^^
Queria saber se vcs têm alguma dica para me dar sobre algum livro que vcs leram de Clarice Lispector.
Beijinhos!!

http://priscilameloc.blogspot.com

Raveninha Oliv. disse...

oie ^^

Passando pra dizer que estou la no Conversa de Blogueiro \o/\o/\o/
La tem:

Matéria http://conversadeblogueiro.blogspot.com/2011/09/materia-com-o-blog-quem-me-roubou-de.html

Entrevista http://conversadeblogueiro.blogspot.com/2011/09/entrevistando-blogueiros-com-ravena.html

e

Enquete http://conversadeblogueiro.blogspot.com/2011/09/se-liga-nisso.html

sobre meu blog e vários outros blogs interessantíssimos
da um pulinho la pra conferir... ;)
espero mesmo que goste ♥

Beijos

http://quemerouboudemim.blogspot.com

Thaís Varine disse...

Não li nenhum da autora, mas esse livro com os contos deve ser bom. ;D

Beijos

Camilla Costa disse...

eu tenho uma coisaa sobre livros de contos; só ouvir falar ja torço o nariz; sei lá acho que sou daquelas que preferem uma historia mais extensa e detalhada; mas nao sei me interessei por esses. Vou fazer uma visinha na biblioteca da minha escola e vou ver se acho ele láa *-*
Beijoo Ana ^^

Teorias de Gi disse...

Eu li um parecido Amores Imortais, que á a mesma coisa (eu acho) só que com historias de amores eternas da PC cast, eu gosto de livros da escola, comecei meu gosto por leitura na escola isso é muito importante!!!