27 fevereiro 2011

A Janela da Madrugada


   Hoje, sentada aqui nesta janela eu descobri o mundo. Eu pude vê-lo, eu pude senti-lo, eu pude ouvi-lo, eu pude vivê-lo.

   Vi a madrugada passar em um tremendo breu onde segredos e verdades se ocultam do mundo, onde os enamorados se esquecem da vida que os espera quando a luz do dia chegar, onde as sombras se deitam e seguem aqueles que as temem pelos becos e vielas da solidão. Vi as luminárias se apagarem, vi a lua se perder por entre as nuvens negras, vi a igreja em seu maior grau de santidade e beleza.
   Senti a brisa gelada tocar meu rosto e afastar dele qualquer resquício do brilho que o dia emanava. Senti os meus piores e dos companheiros os mais fiéis fantasmas me acompanharem por todas as longas horas em que naquela e daquela janela vivi. Senti as ameaças que a escuridão guardava, entretanto, senti muito mais intensamente a segurança singular que o homem que por ali passasse teria, resguardado pela viúva madrugada.
   Ouvi os sons mais belos e simplórios do mundo, mais belos que as sinfonias de Beethoven ou Wagner, mais agudos que os sopranos mais sentimentais do mundo. Ouvi as badaladas do sino cristão a cada passar de hora, tentando lembrar-me do quão magnífico era. Ouvi os cachorros uivando em um uníssono apelativo, ouvi o companheirismo entre eles. Senti. Ouvi os guardas que por minhas amadas ruas passavam, guardando o povo que ali morava. Ouvi ladrões, mas mais tarde descobri serem gatos atrás de ratos. Ouvi risinhos de moças apaixonadas atrás de seus queridos rapazes e alguns futuros maridos. Ouvi o salto das cortesãs tocar delicadamente os paralelepípedos, sempre discretos. Ouvi o vento assobiar lindamente no vidro de minha janela. Acima de todas estas coisas, porém, ouvi o silêncio.
  Vivi naquelas horas todas as aventuras que nenhum navegador histórico ou nenhuma revolucionária jamais pensou em viver. Vivi os momentos mais intensos de minha vida, vendo, sentindo e ouvindo os sons das horas mais belas e secretas de um dia. Vivi ao lado da tão só viúva do sol, senhora madrugada.

2 comentários:

vanessa disse...

adorei o texto, muito bacana *-*

Beijos, Vanessa
This Adorable Thing

Raphilicious disse...

Passando pra avisar que está rolando a promoção de um sorteio de livro lá no blog! Vai lá e particpa tbm! :)

Grande Beijo!