24 fevereiro 2011

A Trilogia Gemma Doyle

 Olá blogueiros!
 Vocês provavelmente estão estranhando duas postagens literárias na mesma semana, mas é que estamos mudando algumas coisas e, a partir da semana que vem, entrarei com uma nova coluna. Que é surpresa, haha! Por enquanto, vamos ficando com a dupla dica de livros que lhes proporciono e aproveitando!
   Sobre a Trilogia Gemma Doyle, sou suspeitíssima para falar. Simplesmente porque adoro, adoro de paixão os livros e porque tenho uma história com eles. Mais alguém aqui acredita que cada livro é uma história à parte da própria história? Comigo, pelo menos é assim e esta que lhes conto hoje começou em 2008...
   Estava eu, aos meus 13 anos, passeando pela Siciliano, procurando novidades pelas prateleiras quando deparei-me com uma capa extremamente exótica, maravilhosa, e com um título bastante chamativo:  Belezas Perigosas, o primeiro volume da trilogia lançada pela Rocco Para Jovens Leitores. A sinopse não era menos atraente. Jovens estudantes em uma Academia para Moças da vitoriana Inglaterra de 1800 (e bolinha...), Gemma Doyle, uma garota que crescera na Índia, louca para viver em Londres, atormentada por uma tragédia que se abatera sobre sua família, atormentada por uma magia assustadora, por visões que a seguiam e por um misterioso e ameaçador rapaz enviado para solicitar (não muito educadamente) que ela fechasse suas visões. Eu simplesmente me encantei com o livro, mas na época, o preço estava, digamos, "salgado" e acabei esquecendo-me dele por um tempo. 
   2010, muitas leituras depois, passeando pelo site da Submarino, pesquiso o título novamente e o encontro muito mais acessível. Comprei-o sem hesitar e definitivamente, matei a vontade. Terminei de lê-lo no mesmo dia em que ele chegou e já fui correndo atrás de notícias sobre a continuação. É por essa paixão, por esse favoritismo e carinho que despertei pela série, que a trago hoje aqui como dica de leitura.

Belezas Perigosas - Libba Bray/ Rocco para Jovens Leitores, 323 páginas
    O que provavelmente vai agradar os leitores, é a excentricidade do livro, o exotismo e, deve-se ressaltar, a construção intelectual muitíssimo bem feita dos personagens.
   Embora tenha achado estranha no começo, gosto muito da narração do livro, que é feita no presente, e tem o toque ácido e rebelde todo especial da Gemma. Dela, que eu também não gostava, mas que aos poucos, promete conquistar o leitor.
   Gemma Doyle é uma das protagonistas mais legais de todas as séries que já li. Primeiro, pelo fato de ela não ser melosa, enjoada e viver em crise existencial (Bella Swan feelings). Segundo, ela é completamente humana, tem qualidades e defeitos. Ao mesmo tempo que é corajosa, destemida e leal, é egoísta, taciturna e orgulhosa. Terceiro, ela não comenta a cada dois parágrafos o quanto está confusa e/ou apaixonada, simplesmente porque ela não está, ou ainda não, e porque é total e completamente independente.
   O cenário em que o livro se passa é fascinante: da Índia colônia inglesa à (suja), irreverente capital mundial, Londres. A maior parte do livro é narrada na Academia Spence, aonde Gemma, após sofrer um grande trauma, foi obrigada a se matricular. Naquela época, século XIX, a mulher tinha um papel completamente submisso na sociedade. As moças eram educadas desde cedo a serem boas esposas e a aprenderem apenas o essencial para isso. Por menos incrível que pareça, era exatamente com isso que toda garota sonhava: casar-se com um homem jovem e rico e servi-lo até a morte, deprimente, não? Gemma, porém, é a rebelde. Tem pavor só de pensar nisso e despreza muitas de suas colegas de escola por sua frivolidade. Até o dia em que conhece a pouco confiante e autoflageladora, Ann; a vulgar, interesseira (sim, para mim ela é muito interesseira em alguns momentos) e idealizadora da liberdade, Felicity; a vaidosa e doce Pippa. Juntas, as 4 criarão uma estranhíssima amizade; viverão muitas aventuras entre os Reinos (que contam com a presença de muitas criaturas fantásticas e mitológicas) e saídas escondidas da escola à noite para cavernas e o acampamento cigano, onde encontra-se alojada a nossa incógnita, o indiano Kartik. E é com esse delicioso toque exótico que espero que o livro conquiste cada um de vocês! Esta leitura vale a pena.


   Anjos Rebeldes - Libba Bray/ Rocco para Jovens Leitores, 472 páginas
   Anjos Rebeldes é maior e, em muitos termos, melhor que Belezas Perigosas!
  O mistério acerca de alguns personagens e certos romances desenvolvem-se num embalo gostoso, que ajudam o leitor a compreender muitas das coisas que aconteceram no primeiro volume da série.
   Gemma está crescendo, ficando mais madura e "misteriosa". Kartik aparece bem mais e ganha importância mais que evidenciada neste volume em relação ao outro. Felicity me incomoda muitas vezes e Ann começa a planejar ir atrás do sonho de sua vida. Surge o galante Simon Middleton e deixa nossa protagonista bastante confusa. Os mistérios em relação à Ordem, aos Reinos e aos Rakshana estão se esclarecendo e Gemma teme que logo tenha que tomar uma decisão que possa alterar o curso de tudo. Paralelamente, os problemas com sua família surgem e seu pai está cada vez pior com o vício, o ópio...
  O que então fazer? Quais alianças fechar? Em quem acreditar? São as várias questões que envolvem Anjos Rebeldes.

   O terceiro livro, infelizmente, ainda não foi lançado pela Rocco. O nome dele em inglês é The Sweet Far Thing e graças às fofas da comunidade "Traduções e Digitalizações", tem sua maioria em português prontinha para quem quiser ler. O link é este.
   Espero que aproveitem as dicas!

2 comentários:

Cabeça Feminina disse...

querida, desculpe-me a demora, mas mt obrigada pelo carinho la no meu blooog

topa fazer parceria?

boa noite
e bjaooo

http://cabecafeminina.blogspot.com

Mayara disse...

Eii!
Queria falar que meu seriado favorito é The Big Bang Theory, ele não está na lista, mas, é o que eu mais gosto, ele e Friends :D
Quanto a postagem: estou doida para saber os caminhos que o blog vai tomar, estou adorando as postagens sobre livros, super completas!!!! :D
E o bom é que eu não conheço essa trilogia, mas, ela parece bem boa!
HAHAHA, ainda bem, odeio personagens que ficam falando toda hora: ai, to apaixonada, PRECISO DELE. Não querida, vc não precisa... não precisou antes, pq precisaria agr? hahaha.
Parabéns pelo post Ana!
Ficou ótimo ^^