19 novembro 2011

7 desejos da Ana #12


Bom dia ao leitor que por aqui hoje passa!
Brindemos juntos ao final de mais uma semana que nos aproxima de 2012. Uma semana ótima, diga-se de passagem, com muitas novidades no blog  e em nossas vidas.
Ainda que eu não retenha o direito de desejar no momento, tendo em vista que recebi ontem, da Saraiva, meus belíssimos exemplares de Marina e Um Dia, é sempre boa a presença de novos livros e a oportunidade de tê-los na estante quando possível.
Vamos conferir a 12ª edição dos Desejos da Ana?

Em seu quarto romance, o aclamado escritor russo Vladimir Nabokov narra a história de Smurov, um imigrante russo triste e solitário que tenta sobreviver sem dinheiro na Berlim da década de 1920. Ele consegue equilibrar as parcas finanças sendo tutor de dois meninos de uma família também russa. Entre um e outro caso amoroso, Smurov se envolve com Matilda, uma mulher casada, e ao ser descoberto e humilhado pelo marido traído, decide que o único rumo possível para sua vida é o suicídio. Porém, algo inusitado ocorre e o autor dá início a uma narrativa detetivesca, em que cabe ao leitor descobrir o que saiu errado, qual será o destino de Smurov e se ele realmente conseguiu dar fim à sua existência ou se o mundo sobrenatural é idêntico à vida terrena. O Olho é um romance que levará o leitor a observar e desvendar o que se esconde por trás da história.

O primeiro motivo de este livro ter vindo parar em primeiro lugar nos 7 desejos da Ana é, indubitavelmente, o nome de Nabokov. Após ter tido o devido contato com Lolita, não me restam dúvidas de que o autor é dotado de, entre outras qualidades, extrema genialidade e maestria com as palavras.
A temática de O Olho é forte, polêmica, como é de hábito, e promete explorar um pouco mais do ser humano, grande barato do autor. Ao que tudo indica, é um lançamento.
_________________________________________________________________________________


Com todas as características de um clássico contemporâneo, A primeira vez é uma luz fascinante sobre um casamento diante de um impasse: laços que se esgarçam mas não se rompem. Marido e mulher, efetivamente distantes um do outro há muito tempo, descobrem, pela primeira vez, o verdadeiro significado do amor.
Ao mesmo tempo catártico e inspirador, A primeira vez encontra Joy Fielding no ápice do talento, explorando a espantosa capacidade de recuperação do espírito humano.
Li uma resenha incrível deste livro na última semana e me convenci de que queria ser emocionada por ele. Muito me emocionam as histórias que exploram o que temos de melhor e pior dentro de nós, e uma temática que mistura traição, desgosto à redescoberta de um amor é certamente muito delicada sentimentalmente, digna de atenção.

_________________________________________________________________________________


O Caderno de Maya, diferentemente dos tradicionais romances de Isabel Allende, é passado nos dias atuais. Apresenta a trama de uma garota americana de 19 anos que encontrou refúgio em uma ilha remota da costa do Chile, depois de cair em uma vida de drogas, crime e prostituição. Segundo a autora, a inspiração para escrever este livro veio do problema com drogas enfrentado pelos três filhos de seu marido. O mais velho enfrentou problemas com heroína durante anos, entrando e saindo de diversas clínicas de reabilitação. A filha do meio morreu de overdose, tendo até se prostituído. “O romance mais impressionante de Isabel Allende.” (La Nación)
Segunda vez seguida em que Isabel Allende aparece em minhas listas de desejo e creio não ser por acaso. Há algo nas premissas criadas por ela que sempre comove e tenho muita vontade de ter um contato mais direto com suas obras.
O Caderno de Maya é um lançamento e tem tudo para ser um livro, no mínimo, marcante.

_________________________________________________________________________________


"Ninguém mais escreve cartas hoje em dia", Marina pensava. Até que um dia uma caiu em suas mãos por engano e mudou o rumo de sua vida. Levou-a ao lugar que ela sempre sonhou. E a conhecer o amor do jeito que nunca imaginou, da forma mais improvável do mundo...
Quando houve o lançamento de O Mundo de Vidro, fiquei muito curiosa a respeito daquela história delicada e meiga, romanticamente falando. Mas aí surgiu Ainda não te disse nada e eu cheguei à conclusão de que realmente precisava ler algo de Maurício Gomyde. Ainda mais envolvendo cartas em um momento no qual são tão escassas, tendo em vista a nossa afeição de blogueiros por elas...
É também um incentivo à nova literatura brasileira, certamente.
_________________________________________________________________________________

Quando Ren, saído de Boston, se muda para uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos, enfrenta um intenso choque cultural. Em Bomont, a diversão é proibida: nada de ficar fora de casa até tarde; festas, sem chance; o rock é banido e simplesmente esqueça sair para dançar. Agora ele está engajado em uma causa simples: fazer com que todos possam se divertir! Daqueles que não desistem com facilidade, Ren desafia a ordem local enquanto luta para chamar a atenção de Ariel, a bela e atraente filha do reverendo Shaw.
Nas minhas listas, como dá para notar, sempre há aquele livro para uma descontração maior, mais voltado ao público adolescente do que qualquer outro.
A primeira coisa que me chamou atenção em Footloose, confesso, foi a capa maravilhosa. Achei a temática interessante, lembrou-me de alguns filmes de dança, com aquele embalo gostoso de se acompanhar... Também é um lançamento.

_________________________________________________________________________________



Durante o século XIX, entre Turim, Palermo e Paris, encontramos uma satanista histérica, um abade que morre duas vezes, alguns cadáveres num esgoto parisiense, um garibaldino que se chamava Ippolito Nievo, desaparecido no mar nas proximidades do Stromboli, o falso bordereau de Dreyfus para a embaixada alemã, o aumento gradual daquela falsificação conhecida como Os Protocolos dos Sábios Anciãos de Sião, que inspirará a Hitler os campos de extermínio, jesuítas que tramam contra os maçons, maçons, carbonários e mazzinianos que estrangulam os padres com as suas próprias tripas, um Garibaldi artrítico com as pernas tortas, os planos dos serviços secretos piemonteses, franceses, prussianos e russos, os massacres numa Paris da Comuna em que se comem os ratos, golpes de punhal, horrendas e fétidas reuniões por parte de criminosos que entre os vapores do absinto planeiam explosões e revoltas de rua, barbas falsas, falsos notários, testamentos enganosos, irmandades diabólicas e missas negras.
Aprecio imensamente a abordagem em obras literárias de conceitos históricos e religiosos. Ambos, como poderão notar, estão sempre presentes nas obras de Umberto Eco, que se consagrou com O Nome da Rosa. Pela vontade de ler algo do autor e pela obra muito bem estruturada que se pode reconhecer aqui, O Cemitério de Praga tem seu lugar merecido nesta edição dos 7 desejos.
_________________________________________________________________________________


Reunião de discursos escritos por García Márquez durante praticamente toda a sua vida - desde os 17 anos, para se despedir de seus colegas de colégio, até o discurso do dia do seu aniversário de 80 anos. Os textos, sobre os mais variados assuntos, nos ajudam a compreender a vida do autor e revelam suas obsessões como escritor e cidadão: a fervorosa paixão pela literatura, o amor pelo jornalismo, as propostas para simplificar a gramática e as lembranças de amigos queridos como Júlio Cortázar e Álvaro Mutis.
Mais um autor cujas obras me interessam demais e cujos discursos adoraria ler. Dizem que Gabriel García Márquez é pura paixão...








_________________________________________________________________________________


E vocês, o que desejam nesta quinzena? Contem para mim!

Tenham um bom sábado,

13 comentários:

Aione Simões disse...

Ai que lindas suas novas aquisições! Um Dia definitivamente é um dos meus favoritos! Preciso ler Marina ^^
Nabokov não sabia escrever sobre temas não polêmicos né?
Fiquei interessada no livro!
Quero ler o livro do Maurício e Footloose!
Beijão e bom sábado!

Danzinha disse...

Concordo com a Mi! Necessito ler Marina. Todo mundo fala também que até fico triste de não ter rsrs. Ainda não conhecia a maioria dos títulos que você colocou. Mas, parecem ser bons. Eu AMO García Márquez! E esse do Maurício tá inclusive numa promoção do nosso blog. *-*

Beijos

Amigas entre livros

Livros e Tsurus disse...

Oi Ana!
Ador ver sua lista de desejos...
Desses, o único que já tinha visto foi Footloose, também me interessei bastante pelo livro.

Nunca tinha ouvido falar desse livro do García Márquez. Deve ser bem interessante ler todos esses discursos. Aliás, eu preciso ler mais livros dele, eu adorei Cem anos de Solidão. =D


Beijinhos!
http://livrosetsurus.blogspot.com

Andressa Leite disse...

Nossa, minha lista de desejos é enorme o.O. Acho que no momento o que eu mais quero é Minha Vida Fora de Série da Paula Pimenta =D

Raquel Pereira disse...

Nossa,

Listinha ótima.
Desses eu necessito mt de Ainda não te disse nada e de Footloose (a capa ficou linda).

Bjok

Camila Costa disse...

aaaain acho que de todos o da Isabel foi o que mais me interessou *-*
Parece ser muito, muito interessante mesmo, agora também quero!

Leitura entre amigas disse...

Oi Ana!
Desses seus desejos quero muito ler O Cemitério de Praga e Footloose *--*
Eu poderia acrescentar também nos meus desejos Cidade de Vidro e A Maldição do Tigre, quero muito eles! hahaha

Beijos

Elidiane - Leitura entre amigas

Renata Estephany disse...

Ainda não te disse nada, por Maurício Gomyde parece ser muito bom estou louca por este livro e Footloose, por Rudy Josephs também é legal =)

Eduarda Menezes disse...

Anaa, como sempre adoro todos os itens da sua lista.

Dos citados o que mais quero ler urgentemente é O Cemitério de Praga, fiquei surpresa no primeiro momento que soube que o Umberto Eco tinha acabado de lançar outro livro, pois o autor já está numa idade bem avançada e muitos escritores não escrevem mais nada quando passam dos 80, mas ao mesmo tempo fiquei super feliz, pois não tenho dúvidas de que a nova obra do Eco é um livro impressionante e muito bom! A sinopse me deixou ansiosíssima para devora-lo, pena que vai ter que esperar um pouco!

Em breve vou ler o do Mauricio, que é outro que também quero muito ler... adorei O Mundo de Vidro e penso que irei adorar ainda mais o Ainda Não Te Disse Nada!

Beijos

Vanessa Tourinho disse...

Ótimas escolhas, Ana.
Achei a sinopse de O Caderno de Maya fascinante, já tinha visto este livro em espanhol, mas não dei a devida atenção a ele.
E Ainda Não Te Disse Nada já está em minha lista de desejados.

Bjs.
ParaísoEmPapel

Teorias de Gi disse...

Eu me interessei por O Olho, O caderno de maya e O Cemitério de Praga que foi o que mais me chamou a atenção eu concordo com sua frase "Aprecio imensamente a abordagem em obras literárias de conceitos históricos e religiosos" Idem esre tema sempre vai me despertar interesse!

Naty disse...

Não conhecia alguns dos livros da lista, mas gostei de suas escolhas. O que mais quero ler entre esses é Ainda não te disse nada que está aqui em casa apenas me esperando para ser lido rs'

Bj;*
Naty.

Gisele disse...

Quanto livro legal vc quer!!!!
O que eu mais quero são Ainda não te disse nada e Footloose..são tão lindos!!!!

bjus