20 fevereiro 2011

As Palavras que Eu Nunca Lhe Falei

   Ouvi dizer muitas vezes que as mulheres não sabem o que querem...Achei engraçado pois, enquadrando-me na espécie feminina, sei que todas as mulheres sabem exatamente o que querem, com o que sonham... Sim! Nós sabemos! Entretanto, somos movidas pelas irregulares estradas do coração, repletas de falhas e desníveis que, muitas vezes, conduzem-nos à descoberta de que aquilo que queríamos ao lado de um atraente rapaz passa a ser totalmente inválido. Uma nova vontade nasce dali, desnorteada como nós, fugindo por completo dos padrões, o freio que escapa-nos dos pés, o súbito desejo que faz todos os nossos outros desejos caírem por terra.

   Hoje, enquanto você partia (e eu nem sequer sei quando, não tive coragem de despedir-me), estava pensando nisso e não pude deixar de sentir-me vil pelos tortuosos caminhos que movem os meus desejos. Você, que foi tudo que eu mais quis, partiu sem levar um só pedaço meu. Nenhuma lágrima, nenhum gesto, nenhum objeto. Apenas a imagem da menina que por horas conversou com você, mas sempre lhe negou qualquer fogo ou paixão, essa covarde de amor que esconde-se por detrás das doses de coragem e euforia que só a juventude fornece. Você merece muito mais que estas palavras que nunca chegar-lhe-ão aos olhos. Temo, entretanto que sejam o que reste de mim, o pedaço mais verdadeiro que repousa em minha alma, fruto de minha inspiração. Antes de tudo ou qualquer coisa, minhas cândidas apologias.
   Sempre defendi aquilo de que gostava. Sonhei com o amor perfeito, de príncipe encantado. Conheci o lobo mau e passei a duvidar da verdade dos sentimentos alheios, da pureza no olhar, da profundidade da paixão, daquela que não diz respeito apenas ao físico. Conheci a frivolidade das alegrias e dos desejos banais e passei a refletir mais, a idealizar como e quando apareceria o homem que faria meu coração palpitar, afetaria minha felicidade, fitar-me-ia com um tranquilo e doce olhar, antes encararia meus olhos, antes de encarar os seios, as pernas, as coxas, o bumbum... E foi construindo esta imagem do adorável amante que me iludi outra vez, esquecendo-me por completo de que amor é mais que um estereótipo. Também descobri que não se brinca com os sentimentos dos outros e lamento enormemente por ter brincado com os seus.
   Eu, que sempre superestimei a inteligência no homem ideal, encantei-me com burros e ignorantes. Eu, que sempre valorizei o sentimentalismo e a capacidade de educação de uma idealizada paixão, sofri arduamente e derramei lágrimas silenciosas em meu travesseiro por rapazes grosseiros, que nunca de fato importaram-se comigo ou com o que eu sentia. Eu, que como quase todas as mulheres alguma vez fizeram, aleguei que só gostaria de quem gostasse de mim, acabei com o coração despedaçado, sozinha e frustrada por ir contras minhas expectativas. Por ir contra você. Você que é o mais inteligente que já conheci, um cavalheiro incorrigível e que gostou de mim sem esperar nada em troca.
   Deixei que todas as desilusões levassem parte de mim e nunca lhe permiti aproximação. Deixei-me consumir pelo desejo nos olhos deles ao me verem, deixei que me beijassem em um dia triste sem sequer perguntarem-me um simples “Tá tudo bem?”, deixei-me em anonimato, deixei-os sem nunca saberem quem eu realmente era. Acharam-me talvez burra, meramente bonitinha, nunca se importaram com o que eu queria. Nunca me deram um abraço, nunca me deram um livro com uma dedicatória e eu lamento por ter sido tão frívola, tão vaidosa.
   Hoje dei-me conta de que você talvez pudesse ter-me feito feliz. Mas tive medo, como todas as outras vezes. Medo de te querer demais, medo de te amar, medo de perder-me de mim mesma, de abdicar de minha liberdade e de minha independência de mulher moderna.
   Machado de Assis disse certa vez que alguns espíritos são condores, aves ousadas, com fome de vida, têm a necessidade de voarem além de suas dependências, de ver o mundo e mostrarem-se a ele. Meu espírito é um condor e está louco para voar. Hoje, ao partir, o seu também tornou-se um.
   Que bons ventos conduzam-lhe entre o majestoso céu e que você encontre lugar e amor ente os novos espíritos que cruzarem seu caminho. Viva, sorria, apaixone-se e nunca deixe de ser tão assim, especial. Você sempre foi o meu favorito.

7 comentários:

Danny disse...

Muitoo bom.
Amei o texto.


bjos

Alternativa teen disse...

adorei o blog , mefaz um favor , me diz como vc colocou o bloco de recados ai de lado ?
me responde pelo meus comentarios :)

Rubi disse...

A começar pela organização do blog, fiquei encantada, tanto com as cores quanto nas imagens.

Quanto ao texto, me prendeu do início ao fim.
Quando a leitura não é cansativa, dá vontade de ler.
Parabéns!
http://allclassics.blogspot.com/

Pamela Kenne disse...

O amor tem dessas... sonhamos com homens inteligentes, românticos, dentro de suas perfeições, porém, vemo-nos, em nossa realidade, apaixonadas por caras estúpidos e grosseiros. Outras vezes, no apaixonamos pelo suposto "cara certo", aquele sensível, romântico incorrígivel, não resistimos a tamanha perfeição e nos entregamos, pra no final termos uma enorme decepção e perceber que esse foi o pior de todos.
Enfim, esses exemplos que dei não acontecem sempre, mas são comuns. O amor tem dessas. Então, não devemos esperar o homem perfeito e nem desacreditar no amor quando alguém nos magoar. Temos de nos valorizar em primeiro lugar e dizer todos os "sins" que a vida espera da gente, sem medo, sem desconfiar - mesmo que exista a possibilidade da mentira e do fim.

vanessa disse...

Que bonito o texto, adorei *.* a imagem ficou super bacana também junto.

Beijos, Vanessa
This Adorable Thing

Mayara disse...

Texto maravilhoso!
Como sempre... será que temos uma escritora aqui? Oh god O: hahahaha ^^
Escrever é ótimo né?
Ontem estava precisando... pra desabafar :D
Enfim, tá de parabéns, como sempre <3
Amo demais esse blog *-*

Larissa disse...

Sério, parabéns mesmo.
Cada vez que eu leio teus textos, eu renovo minha opinião sobre você, digo, seu eu lírico.
"Você vai conseguir o que você quer" disse um dia Jucélia.
Acredito nela.

Beijinhos