03 novembro 2011

Lugar Nenhum, por Neil Gaiman


Título: Lugar Nenhum
Título original: Neverwhere
Autor: Neil Gaiman
Tradução de: Juliana Lemos
Editora: Conrad
Número de páginas: 334
Edição: 2010
ISBN: 978-85-7616-408-1
Gênero: Fantasia; Literatura Inglesa

“Uma voz lá no fundo de Richard lembrou que Atlântida nunca existiu e, ousada, continuou dizendo que anjos também não existiam e que, além disso, as experiências pelas quais ele havia passado nos últimos dias eram impossíveis. Richard a ignorou. Era estranho, estava aprendendo a confiar em seus instintos [...]”
Em um dos quatro comentários estampados na parte de trás de Lugar Nenhum, feitos por veículos informativos e pessoas influentes no mundo literário, encontramos as duas características perfeitas para defini-lo, segundo o Libération: “Assustador e fascinante.” O limiar entre uma fantasia mais inocente e outra quase adulta, gótica.

Não é raro ouvirmos por aí fortes referências literárias a Neil Gaiman no quesito fantástico dos tempos modernos. O autor que é consagrado, principalmente, por obras como Coraline e Sandman traz neste volume – uma de suas primeiras publicações, senão a primeira – um mundo todo à parte a ser desvendado pelo leitor.

Começamos a história com Richard Mayhew, um londrino que leva uma vida mundana e um tanto quanto sem graça. Tem um trabalho comum, mora em um apartamento alugado, coleciona trasgos de brinquedo e está noivo de Jessica, uma moça bonita e ambiciosa que o faz sentir-se, de maneira inconsciente, como um fracassado, sem que o próprio compreenda o motivo de ela gostar justamente dele. Logo ao início notamos que Richard é um personagem sereno, tranquilo, passando até por disperso ao esquecer-se de um jantar importantíssimo que faria com Jess e seu patrão. Paralelamente a esses fatos, há uma outra narração mais misteriosa que nos apresenta a um mundo obscuro, entre túneis e esgotos, no qual uma jovem moça tenta fugir de dois assassinos desumanos e cruéis. Os fatos acontecem paralelamente e, na mesma noite em que Richard sai para jantar com a noiva, a moça fugitiva dos assassinos vai parar nas ruas da Londres de Cima . É aí que o rapaz, contrariando a vontade de sua namorada, deixa de seguir em frente, disposto a salvar a menina frágil que sangra, tão vulnerável e abandonada, parte de um mundo sobrenatural que pulsa no subterrâneo escuro e assustador da metrópole londrina. É aí que a realidade e a fantasia se confundem, através do apoio cego de Richard e da vulnerabilidade de Door, Londres de Cima e Londres de Baixo.

O que o protagonista da história não esperava, entretanto, era que dar socorro à moça faria sua vida se tornar um verdadeiro caos. Para salvá-la, percorre passagens no subsolo nunca antes imaginadas e descobre todo um mundo palpável e diferente de tudo que até então conhecia. Uma vez com Door curada, entretanto, ela o deixa com um pedido sincero de desculpas e temos, então, uma das grandes problemáticas do livro. Após o estranho contato com aquelas pessoas estranhas e aquele mundo obscuro, o rapaz descobre que ninguém em sua Londres pode vê-lo, senti-lo, ouvi-lo. Richard apenas não existe mais e, apavorado com a possibilidade, descobre uma forma de voltar à Londres de Baixo e obter, novamente, o direito de uma vida comum, humana.

O universo sobrenatural ao qual Neil Gaiman nos conduz é, entre outras coisas, insano. Os personagens do submundo são assustadores, por vezes bizarros e a imaginação do leitor voará longe ao ler cada descrição exagerada de um lugar todo à parte. Marqueses que colecionam quinquilharias, ratos que são soberanos altamente respeitados, falantes de “ratês”, assassinos cruéis e nojentos, moradores de esgoto, mercados exóticos que vendem desde curry a cadáveres em decomposição. Toda a ambientação passa a impressão de algo escuro, sempre permeando o gótico, mas sem perder umas boas doses de ironia e até humor.
“Os convidados aplaudiram: nenhum deles tinha dúvidas a respeito de quem havia colecionado todos aqueles anjos ou desembolsado o dinheiro para o champanhe.”
Richard então passa a acompanhar a jovem Door, o marquês De Carabas e a caçadora Hunter pelos túneis do submundo em busca de uma solução para seu problema e, paralelamente, envolve-se na jornada daquela que salvou por vingança. Toda a família de Door foi assassinada e ela lutará bravamente para ter suas respostas e, ao fim, agir em nome do povo de seu sangue.

A narrativa é surpreendente e conta com personagens interessantes, apesar de deixar em dúvida o envolvimento entre os mesmo algumas vezes. Neil Gaiman, talvez na intenção de sintetizar o seu mundo fantasioso, acaba por deixar o leitor confuso a respeito do que há entre Richard e Door, sem aprofundar em suas personalidades, seus medos e fraquezas com um toque quase impessoal, recompensado por alguns momentos de devaneio do protagonista que nos aproximam dele.

Há outras figuras interessantes como a inocente Anaesthesia, a destemida e obcecada por lutas, Hunter, o duvidoso Carabas, que acaba por se mostrar talvez a personalidade mais palpável e bem construída.

Entre os poucos pontos negativos, o desfecho da história pode acabar sendo rápido e confuso demais, deixando alguns assuntos pendentes e um gosto de insatisfação ao leitor, melhor seja a trama do livro. No mais, diria que é perdoável por ser o começo do grande Neil Gaiman e que também, em condição de minha primeira leitura por parte do mesmo, é sólida o suficiente para se consagrar e causar tão boas impressões como pude notar que causou.

Se estiver buscando por uma fantasia diferente, com ares talvez não tão puros e infantis, indico a leitura de Lugar Nenhum.
"Eu sempre considerei a violência o último refúgio dos incompetentes e as ameaças vazias o último abrigo dos ineptos sem salvação."
Avaliação Geral:
Nota 4 de 5 (Muito Bom)

Uma boa quinta-feira a todos e não deixem de comentar se quiserem vencer a promoção dos três top comentaristas de novembro.

Sua,

17 comentários:

Teorias de Gi disse...

Boa tarde Ana, eu gostei de partes do livro que me agrada como o obscuro e um pouco de gótico, mas não me conveci totalmente...eu gosto de fantsia mas gosto da inocencia e até um pouco de infantilidade nelas...mas a resenha ficou ótima como sempre beijusss...

Danzinha disse...

O.O Não conhecia o livro, mas, depois da resenha vou procurar saber sobre ele fiquei curiosa rsrsrs.

beijos

Amigas entre livros

Francielle Couto disse...

Olá, Ana! Como vai?

Antes de tudo quero desculpar-me pela minha ausência. Andei meio atarefada (e ainda estou), mas só neste fim de semana tive tempo para me organizar melhor... e organizar também minha listinha de blogs para visitar. Estava sinceramente com saudades de passar aqui continuamente para comentar em suas resenhas, que pelo que vejo continua com uma qualidade incontestável. Desde já, parabéns! :D

Agora vamos ao livro, certo? Bem, é a primeira resenha que leio acerca do mesmo, e estou muito surpresa. Surpresa e impressionada... achei a temática completamente estimulante. Gosto muito dessa coisa de submundos, ou mundos de fantasia. Adoto histórias bizarras, na verdade... isso pode soar estranho, mas eu realmente gosto, e acho que encararia a leitura com prazer, ainda mais por ver que há assassinatos envolvidos, o que transparece ser uma narrativa cheia de suspenses e uma verdadeira busca por vingança.
No mais, volto a dizer que fiquei muitíssimo interessada. Não daria muito pelo livro ao olhar a capa, por exemplo, mas ao ler seus comentários e ver de fato quais são as características da obra, vejo que estaria completamente enganada.

Um abraço!
http://universoliterario.blogspot.com/

danamartins disse...

Eu li esse livro faz um tempo. Eu conhecia o Neil Gaiman de nome, mas não sei por que decidi ler. Não é nem um estilo que eu me interesse. Só que quando eu li... o estilo dele contar a história e de caminhar é muito bom. VocÊ sente que foi algo bem feito e trabalhado. É legal que os personagens tem todo o estilo dos dessa literatura jovem e até clichê, tipo a Door, mas caminha de um modo bem diferente.

Eu não sei se eu tava cega ou o que, eu sei que me envolvi tanto com o livro que nem cheguei a me preocupar com o que você colocou como pontos negativos. HAUHA

É realmente muito bom!

Leitura entre Amigas disse...

Legal a resenha Ana, n conhecia o livro, mas n faz muito o meu estilo infelizmente.

Bjs

Amanda

Raquel Pereira disse...

Adorei a resenha,
Já ouvi falar bastante coisa sobre o autor, mas nunca tive a oportunidade de ler nenhum de seus livros. Vai entrar pra listinha das proximas compras.

Bjok

Beatriz Gosmin disse...

Gostei muito da capa do livro, e a sinopse me cativou.
O livro parece ser diferente, e agora estou com muita vontade de ler ele! ^~~~~^

Beijos
Bia | Blog Livros e Atitudes

Aione Simões disse...

Oi Ana!
Acredita que nunca li nada de Neil Gaiman? Mas estou ciente de que preciso corrigir esse fato!
As obras dele parecem ser bem sombrias mesmo e muito bem escritas!
Uma pena, em Lugar Nenhum, que o final tenha deixado a desejar!
Como sempre, uma ótima resenha!
Beijão e bom final de semana!

Julia G disse...

Ana, adoro suas resenhas! Gostei muito do enredo da história, adoro quando os autores criam mundos fantásticos que nos fazem usar a imaginação. Uma pena não se aprofundar nos personagens, acho que isso é o detalhe mais precioso de um livro.

Beijos

Camila Costa disse...

já li muita coisa do neil, mas acho que a que eu mais gostei foi uma das obras menos conhecidas, chama-se O Livro do Cemitério. Tem todo esse clima obscuro e acabou me cativando. Eu já conhecia esse livro só por vista , mas sua resenha me deu vontade de ler, o tema parece ser muito interessante...

Marina Oliveira disse...

Sempre ouço inúmeros elogios aos livros do Neil Gaiman, mas ainda não tive oportunidade de ler nenhum.
Mas vontade não falta... E esse parece ser bem interessante.
Beeeijos

Marina Oliveira
http://distribuindosonhos.blogspot.com

ka macedo disse...

Em primeiro lugar: que resenha maravilhosa, Ana!
Eu nunca li nada do Neil apesar de ter amado Coraline (o filme). E sei que as estórias dele são góticas no estilo que eu gosto. Então agora estou ainda mais desesperada para ler algo dele né?
O cara parece ser um gênio da ficção atual e totalmente criativo. E, melhor ainda desse livro: se passa em Londres! Eu amo tudo que envolva a Inglaterra, haha.
Adorei, adorei a resenha Ana, muito boa mesmo. Lugar Nenhum já está na minha lista de livros e com prioridade!

Beijosss

Robledo Filho disse...

Parece tão bom, Ana! Eu já havia esbarrado nesse autor algumas vezes, mas jamais havia parado para analisar pacientemente a produção literária dele. Por mais que você tenha apontado certa imprecisão na hora de definir a relação existente entre alguns personagens, eu desenvolvi um grande interesse por esse livro! Gostei particularmente dessa história de que o cara simplesmente não é visto, ouvido ou sentido por ninguém! Quão perturbador pode ser isso? Ainda que eu não seja um grande amante das leituras apinhadas de detalhes fantasiosos, parece-me que a leitura de "Lugar nenhum" vale bastante a pena. Principalmente por se tratar de uma obra "com ares talvez não tão puros e infantis". Muitíssimo obrigado pela indicação, dona Ana!

=*
Livros, letras e metas

Eduarda Menezes disse...

Ana, eu já tinha lido essa resenha sua logo depois que você postou, mas como no momento que li estava no meu ambiente de trabalho (tá vendo como eu gosto do seu blog rs), não pude deixar um comentário!
Adorei esse mundo gótico e fantasioso criado pelo Neil Gaiman, e tenho uma imensa vontade de conhecer os seus livros. Recentemente comprei uma dois títulos de contos e mal posso esperar para começa-los!

Uma das coisas que mais gostei foi a ambientação, o cenário onde a história acontece, e confesso que esse quê de mistério sempre me deixa muito curiosa. Mesmo os pontos negativos ressaltados não me desestimularam à leitura, muito pelo contrário, pois só mostra que mesmo com um desfecho não tão satisfatório, o livro parece ter sido tão bom e interessante que nem isso foi o suficiente para te causar uma impressão negativa em relação a história!

Beijos!

Naty disse...

Não conhecia esse livro e sendo sincera, nem o autor. ;x

Mas depois de ler a sua resenha até me interessei pela história, parece ser boa, mas não o suficiente para querê-lo logo rsrs'

Bj;*
Naty - Just Books !

Fábrica dos Convites disse...

Primeira resenha que leio do livro e gostei. Não conheço o autor, quem sabe começo a conhecer agora. Bjs, Rose.

Gisele disse...

Nunca tinha visto esse livro antes, + parece ser interessante!!!!...quem sabe um dia eu me interesse por ler..obrigada pela dica!!

bjus