14 agosto 2012

Os menores livros do mundo

Fonte: Mercado Livre
É, gente, agora é de verdade... Justificando-me: quem veio ao blog há cerca de uma hora já deve ter visto uma postagem com este mesmo título, o único problema é que nada estava escrito. Ou melhor, eu programei a postagem com a palavra "fofo" apenas para me organizar. Um Lorem Ipsum ia melhor... Peço desculpas desde já, acho que são os efeitos dos estudos.

Fonte: Universo IPA
Tratando do assunto de verdade, sempre que pensamos em livros (e creio que o fazemos com uma grande frequência), imaginamos aqueles típicos exemplares carregados com as duas mãos e que, talvez, dependendo de seu tamanho, podem ocupar um lugar em nossas bolsas para as leituras de todos os dias. Os menores livros do mundo, contudo, seguem um plano dimensional bastante distinto daquele de praxe, podendo chegar a até 1cm de largura por 1cm de comprimento com o rico conteúdo de obras clássicas conhecidas ao redor de todo o mundo.

Idealizados em 1970 pelo empresário Alberto Briceño como um selo da Editora Latinoamericana apelidado de Los libros más pequeños del mundo (Os menores livros do mundo, no Brasil), os minilivros peruanos têm conquistado fãs em diversos países por seu ideal de reproduzir romances na íntegra para a leitura, sem a necessidade de lupas ou lentes de aumento, com um trabalho artesanal impecável desde o miolo até os moldes das capas. Entre os títulos publicados no formato pocket (se é que podemos classificá-los desta maneira), temos Alice no País das Maravilhas, Romeu e Julieta, O Pequeno Príncipe, Sonhos de uma Noite de Verão, Dom Quixote, Dom Casmurro e Iracema, por exemplo.

Letras legíveis, como diz a fórmula. Fonte: G1
Para atender aos diferentes públicos dos 27 países em que Os menores livros do mundo prosperam, os romances são publicados em espanhol, inglês, italiano, francês e português, subdivididos, por sua vez, nos gêneros de autoajuda, sócio-político, clássicos, culinária, esotéricos, filosofia, infanto-juvenil, negócios, espírita, religião, romântico e turismo. Definitivamente, tem para todos os gostos. E como se não bastasse todo o esmero na produção de livros tão delicados, para os colecionadores de afinco, os pequenos ainda contam com estantes e suportes próprios para serem guardados conforme seu tamanho.

Um exemplar de Los libros más pequeños del mundo custa entre R$8,00 a R$42,00 e embora alguns julguem os valores como salgados em demasia, os donos da editora no Brasil garantem que é um trabalho no qual vale a pena investir. Criados em escala artesanal com padrões específicos de diagramação em que o tamanho da fonte pouco interfere na legibilidade, é um grande júbilo para qualquer leitor ser presenteado com um destes livros tão pequenos e carinhosamente produzidos. Não é à toa que o slogan da editora os recomende como "O presente perfeito".



Fontes:

E para a alegria geral, quem tiver a oportunidade de comparecer à Bienal do Livro de São Paulo que está rolando desde o dia 9, Os menores livros do mundo contam com seu próprio estande lá para quem quiser comprar, presentar ou simplesmente admirar.

0 comentários: