08 março 2013

O Livro do Amanhã, de Cecelia Ahern

Como seria se soubéssemos o que o amanhã nos reserva? Nós o consertaríamos? Será que conseguiríamos? 

Da autora dos sucessos P.S.: Eu te amo e A vez da minha vida, Cecelia Ahern agora nos traz O livro do amanhã.

Tamara Goodwin sempre teve tudo o que queria em sua vida. Vivia em uma realidade onde não tinha consciência do dia do amanhã. Contudo, drasticamente, tudo muda com o falecimento de seu pai. O cara que proporciona toda essa vida de conforto para Tamara e sua mãe, ou melhor: proporcionava, já que, junto com a sua morte, ele leva também a realidade confortável em que elas viviam. Acontece que estava atolado de dívidas e de problemas financeiros. Quando o banco hipotecou sua própria casa, não aguentou mais a pressão e, bem, se matou.

Após perder tudo, então, Tamara e sua mãe se mudam para a casa de seus tios, Arthur e Rosaleen, que vivem em uma cidade do interior afastada de grandes centros comerciais e da antiga cidade de ambas. A vida de todos muda da água para o vinho, assim, de repente. A protagonista logo é obrigada a se acostumar com uma família e uma casa diferente. Adolescente e de personalidade forte, ela se vê em uma vivência difícil de se adaptar.

Rosaleen e Arthur são um casal um tanto quanto estranho, além de muito reservados e monossilábicos. Ter certas conversas com Rosaleen é algo impossível. Tamara se frusta tentando ajudar sua mãe a melhorar, tentando achar alguma diversão nessa cidade. No meio do tédio da cidade do interior, a moça acha um livro, ou melhor, um diário, no qual, em todos os dias, aparece a narração dela, com a sua própria letra, do que acontecerá no dia seguinte. E mesmo sabendo de tudo, as coisas tendem a se desenrolar como o diário diz, ou como sua versão do futuro diz. Tamara vai se surpreender com o que o amanhã lhe reserva e como,por mais que ela tente, é difícil mudar o que estava escrito.

A história é construída em cima de personagens bem definidos, e o meu personagem favorito foi a Irmã Ignatus. Isso mesmo, ela é uma freira, que acaba conhecendo Tamara e tenta ajudá-la a se adaptar a essa nova situação. Está sempre de bem com a vida, e nunca deixa a jovem aborrecê-la. Uma freira com seus hobbies que está sempre tentando fazer os outros verem as coisas de outro modo. Adorei ela.
"Quando a gente fecha os olhos, pode ficar em quase todos os lugares que deseja estar"
Confesso a vocês que o livro me surpreendeu, este é apenas o segundo livro que leio da autora, mas a história segue um ritmo linear e tranquilo. Quando faltavam cerca de umas 100 páginas para acabá-lo, juro que pensava "Como tudo isso vai se resolver coerentemente em apenas 100 páginas?". Fiquei meio receosa de tudo acontecer muito rapidamente e ser uma explicação escassa, que deixasse a desejar. Todavia, estava enganada. O final me surpreendeu demais, mas foi uma surpresa boa. Adorei a conclusão do livro e adorei ser surpreendida também, pois esperava que a história continuasse no mesmo ritmo em que esteve durante a leitura inteira.

Gostei da trama, do desenvolvimento dela, do final (isso é algo muuuuito importante!) e da narrativa. É uma leitura leve e tranquila. Espero que vocês também gostem! 

Leia o primeiro capítulo do livro aqui.

Karine Pestana

0 comentários: